Quarto  compartilhado com bebê

 

Quarto compartilhado com o bebe
Quarto compartilhado com bebe

 

Muito se falam sobre o quarto compartilhado com o bebê, algumas pessoas acham que é errado e outras defendem que é o certo a se fazer.
Então hoje vou compartilhar a minha experiência com vocês.
Desde que meu filho nasceu ele dorme no mesmo quarto que os pais, e nunca tive problema sempre achei mais seguro, se ele acordasse no meio da noite eu ia poder ver o que estava acontecendo. No momento eu também não tenho espaço em casa para ele ter um quarto a casa é pequena.
Quando eu fiquei grávida eu já pensei onde ia colocar o berço dele, por mais que eu compartilho o quarto com ele, cada um tem seu cantinho e acaba que nenhum invade o espaço do outro.

Vantagens do quarto compartilhado:

 

  • facilita a amamentação (a proximidade poupa tempo e incentiva a produção da ocitocina, que ajuda na produção do leite);
  • fortalece o vínculo ( os pais se sentem mais próximos e mais ligados ao bebê, que por sua vez ganha mais atenção e carinho);
  • promove a rápida resposta às necessidades fisiológicas e emocionais da criança (que são muitas e não seguem uma rotina);
  • tranquiliza os pais (que, por estarem perto, sabem que o bebê está bem).

A primeira coisa que se pensa quando falam do quarto compartilhado é as desvantagens e a principal seria a intimidade do casal que vai se perder.
Não vou dizer que  não é verdade mas quero que você responda algumas perguntas sinceramente.

 

  1. Desde quando um bebê pequeno, que não anda e não fala nem se alimenta sozinho, é independente? Colocá-lo sozinho num ambiente estranho, sem calor humano, contribuirá para sua independência/autonomia – ou somente para sua solidão e aceitação da solidão?
  2. É possível criar um filho sem passar por momentos difíceis de transição? O nascimento já não é uma transição? Não faria sentido diminuir o número de eventos de transição no início da vida para que essa primeira fase no relacionamento pais e filhos seja mais suave e prazerosa? O que impede você de promover a transição para o próprio quarto quando a criança estiver, de fato, mais autônoma (andando, falando, curiosa para explorar o mundo)?
  3. Você acha mesmo que sua vida sexual será tão intensa quanto antes do bebê nascer – independente de onde ele for dormir? Você tem sofá/futon/chuveiro/ outros cômodos na casa? Sabia que, enquanto dorme, seu bebê não vai nem saber que você e o seu parceiro estão se divertindo um pouquinho?

Vou finalizar esse post com uma frase do pediatra espanhol Carlos Gonzales:

Há muitas críticas ao co-sleeping. Que prejudica a autonomia da criança, que estraga o casamento…
Se não prejudica o marido, não vai prejudicar o bebé.

Há muitas mulheres que dormem com os seus maridos e isso não prejudica a sua independência, o seu crescimento, não acontece nada.

Entrevista Pediatra Carlos Gonzales.

Adoro os quartinhos de bebê e quero  que meu filho tenha um quarto só para ele, no momento não dá pois não tenho o espaço.
Ele já vai fazer 3 anos e agora acho necessário ele ter o espaço dele, já estou pensando como vou montar o quarto  e pensando em uma casa maior é claro.
Não tenho nada contra em montar um quarto para o bebê com ele desde pequeno, cada cuidadores sabem o que é melhor para seus filhos e para eles.

Em um outro post vou trazer algumas inspirações de quarto que estou pensando em montar para meu filho.

Contem a sua experiência com quarto compartilhado também.

Deixe seus comentários.

 

Link relacionado: https://vamosmamaes.com.br/2016/08/19/como-montar-um-quarto-de-bebe/

29 thoughts on “Quarto compartilhado com bebê

  1. Aqui em casa nós adotamos o quarto compartilhado até os 6 meses, para as duas. Foi super tranquilo, todos ficamos bem. Era realmente mais confortável pra todo mundo e, ao contrário do que muitos falaram na época, as duas foram para o berço depois sem nenhum problema. Super apoio!

  2. Fiz quarto compartilhado até os 8 meses do João e não me arrependo nem um pouco… Se tivesse outro filho faria novamente.
    Acho que é possível separar as coisas e com um pouco de bom senso tudo se ajeita.
    Lembro que todo mundo me dizia que o João jamais aceitaria dormir sozinho por conta da cama compartilhada. Não tive nenhum problema em faze-lo dormir em seu berço. No inicio ele adormecia na minha cama e depois eu o levava. Hoje ele já adormece na cama dele. Claro que eu fico com ele até ele pegar no sono. E quer saber? Eu adoro "cheirar" meu filho até ele dormir… Sei que um dia ele não vai mais precisar disso, então quero aproveitar!

    Deia Tomaz – http://www.lancheiradojoao.com

  3. Mari aqui também desde que nasceu compartilhamos o quarto, por um bom tempo a cama também, hoje ele está com 6 anos e ainda dorme no meu quarto, na cama dele ao meu lado e quando quer dormir comigo deixamos e depois que pega no sono coloco na cama dele (pois o menino é espaçoso rs), mais esse ano irei montar o quarto dele.
    Mais concordo com você, principalmente quando ainda é pequeno e mama, facilita muito ficar no nosso quarto.

    Amei o post
    Beijos Mi Gobbato

  4. Aqui o quarto compartilhando foi a melhor opção. Apesar dele já ter o quartinho dele, nunca consegui dormir ben (mesmo tendo babá eletônica). Era a noite toda indo amamentar e ver se estava realmente bem. Optamos e foi maravilhoso para o seu desenvolvimento quanto a independência. Hoje ele ja fica no quartinho dele, no canto dele. Mas sempre que ele quer, vem para nosso quarto e dorme agarradinho com a gente. Amo dormir sentindo o cheirinho dele… Bjos

  5. Adorei o tema. Lá em casa fazemos cama compartilhada mesmo, quando a Gi nasceu, deixei os 1os meses no carrinho, já que no meu quarto não cabia o berço, depois, até tentei colocar ela no berço, mas quando eu comecei a trabalhar, eu não agüentei ficar acordando várias vezes a noite e levei ela para minha cama.
    Nossa ouvi de tudo, que ela ia ser dependente, que meu casamento ia pelo ralo, enfim… Hoje a Gi tem 8 anos, dorme no quarto dela, na cama dela, não tive problemas de transição e ela é uma criança muito feliz. Ah, e vez ou outra ela vai lá pra minha cama, principalmente se tem pesadelo, ou se a mamãe aqui fica com saudade de dormir agarradinha 🙂 <3
    bjsss,
    Alê
    http://www.dafertilidadeamaternidade.com.br/

  6. Jack, eu não compartilho o quarto só quando a Mari está dodoi eu levo pra minha cama, ela já acostumou no quarto dela desde a volta da maternidade. Mas você mostrou os benefícios do quarto compartilhado com tanto carinho que se eu tiver outro acho que vou compartilhar. bj

  7. Em casa não teve não quarto compartilhado. Mas tb acho normal q tenham. Não me importo. Mas hj a mama com 4 anos ela tem quarto misturado rsrsr cada dia nos dormimos em um quarto RS e tá tudo otimo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *