Filho Querido!
Engravidei, e saber que tinha
você crescendo dentro de mim foi uma felicidade indescritível. Que momento
mágico! Até que? Você nasceu! E agora estou aqui… triste! Mas eu queria estar
feliz, cantar para você, admirar seu sono, preparar seu banho, cuidar de você
com todo amor, mas não esta sendo assim. 
Você nasceu, e agora eu me vejo em um “buraco”, o qual não consigo sair.
Me vejo tomada por uma tristeza sem fim, não consigo te amar e isso dói… como
dói. Neste momento a única coisa que consigo é te dizer: Me perdoe meu filho!!!
 
Christiane Junqueira
A Depressão pós-parto não é
um sinal de fraqueza, falha de caráter ou de incompetência do papel de mãe, e
sim um transtorno psiquiátrico que pode surgir logo após o nascimento do bebê ou
até os seus 6 meses. A depressão pode ser leve ou transitória e ate mesmo grave
necessitando de tratamento médico.
Trata-se de um sério
transtorno que, assim como outro quadro de depressão, pode ter consequências
negativas sérias, senão for tratado adequadamente e até mesmo se o paciente não
tiver apoio dos amigos e familiares mais próximos.


(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});

 Causas e sintomas da depressão pós-parto

A depressão pós-parto é um distúrbio desencadeado pela queda dos
níveis de hormônio que ocorre logo após o fim da gravidez, associado a privação
de sono e o estresse emocional que um bebê recém-nascido.

Alguns fatores podem ser desencadeantes da depressão pós-parto,
são eles:

ü  Histórico
de depressão pós-parto em gravidez anterior;
ü  Dificuldades financeiras;
ü  Ter muitos filhos;
ü  Mães com idade inferior a 25 anos;
ü  Ser mãe solteira;
ü  Gravidez indesejada;
ü  Dificuldade no relacionamento com o
companheiro;
ü  Ficar muito tempo sem tocar no bebê após o seu
nascimento;
ü  Violência doméstica;
ü  Abuso sexual;
ü  Sobrecarga;
ü  Experiência traumatizante anterior com a  maternidade.

Vários os sintomas da depressão pós-parto que necessitam de
atenção::

ü  Tristeza constante;
ü  Sentimento de culpa;
ü  Baixa auto-estima;
ü  Desânimo e cansaço extremo;
ü  Pouco interesse pelo bebê;
ü  Incapacidade para cuidar de si e do bebê;
ü  Medo de ficar sozinha;
ü  Falta de apetite;
ü  Falta de prazer nas atividades diárias;
ü  Dificuldade para pegar no sono;
ü  Sentimentos de culpa;
ü  Pensamentos suicidas;
ü  Medo excessivo de machucar o bebê;
ü  Diminuição da libido;
ü  Alteração do comportamento.
Diagnóstico
Normalmente o diagnóstico da depressão pós-parto é feito pelo
psicólogo ou psiquiatra, mas o médico obstetra e até mesmo o pediatra do bebe, podem
observar os sintomas da depressão na mulher.
Para o diagnóstico o psiquiatra ou psicólogo poderá utilizar um
questionário para avaliar a mulher e não é necessário realizar nenhum exame
específico.
A depressão pós-parto tem cura com o correto tratamento, mas
esta cura pode demorar meses para ser alcançada.
Tratamento
O tratamento deve ser realizado através de psicoterapia, aonde o
paciente tenha um espaço para falar de seus medos, angústias, aflições e
dúvidas sobre o momento da maternidade,  e
então consiga elaborar suas dificuldades para que possa enfrentar de maneira
salvável este momento tão delicado, e caso seja necessário, um médico poderá
ser procurado para realização de um tratamento medicamentoso.

Nesse vídeo a Chris fala um pouquinho sobre a depressão pós parto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *